DECISÃO DO CAMPEONATO

Passeio tricolor e mão na taça

Com goleada em cima do Uniclinic, Fortaleza abre vantagem e só uma tragédia tira o título de bicampeão cearense

O Leão joga por dois resultados iguais e pode perder até por três gols de diferença para conquistar o título, no próximo domingo, às 16 horas, na Arena Castelão. Antes disso, o Tricolor enfrenta o Flamengo, nesta quarta-feira, às 21h45, na Arena Castelão, pela Copa do Brasil.

Antes mesmo que a Águia da Precabura pudesse encaixar a sua marcação, o Fortaleza chegou ao primeiro gol, logo aos 3 minutos. Houve uma falta a favor do Leão, à esquerda do seu ataque. Pio fez a cobrança, alçando a bola na área.

O zagueiro Lima cabeceou, o goleiro Alex rebateu e a bola voltou para o próprio Lima, que chutou rasteiro abrindo o placar no PV.

A equipe orientada pelo técnico Maurílio Silva chegava esporadicamente ao ataque, visto que o time leonino se apresentava bastante compactado em suas linhas, com dois volantes bem postados, no caso, Dudu Cearense e Juliano. Este praticamente não perdeu uma bola dividida. O Uniclinic conseguiu escapar pela direita e o meia-atacante Diogo, um dos artilheiros do campeonato, penetrou na área e cruzou, mas a zaga rebateu. 

Lado esquerdo

O Tricolor do Pici era eficiente pelo lado esquerdo, onde trabalhavam Everton e Jean Mota, com a cobertura de Willian Simões, que se não fora eficiente no apoio, ao menos marcava bem. E foi pela esquerda que veio o segundo gol.

Aos 34 minutos, Anselmo roubou a bola de um defensor, tocou a Everton, este a Jean Mota, que devolveu de calcanhar e na área, Everton foi derrubado por Guidio, pênalti, que Anselmo cobrou com tranquilidade e ampliou para 2 a 0, na etapa inicial.

No segundo tempo, outro gol relâmpago impedia uma reação do adversário. Logo aos 29 segundos, o atacante Juninho avançou pela esquerda, recebeu passe de Jean Mota e encheu o pé, marcando 3x0. Aos 4 minutos, o Uniclinic teve um gol anulado por impedimento.

Bola aérea

Se não conseguia chegar tabelando, a Águia chegou pelo alto. Wanderley cobrou falta da direita, a zaga não rebateu e o zagueiro Marcelo Amaral chutou forte e diminuiu. O goleiro Erivélton se contundiu, sendo substituído por Max Walef.

O Uniclinic passou a ganhar o duelo de meio-campo e começava a pressionar. Marquinhos Santos colocou Corrêa e Daniel Sobralense e equilibrou as ações. Aos, 37 minutos, Pio cobrou escanteio e o zagueiro Edimar cabeceou, marcando o quarto gol e esfriando a reação do adversário, em momento decisivo.BI

Decisivo

O zagueiro Lima marcou o primeiro gol da goleada de ontem sobre o Uniclinic e mostrou que pode ser decisivo também, ofensivamente. O zagueiro chegou ao segundo gol neste ano pelo Leão. Ano passado, o atleta exibiu a mesma virtude, marcando seis gols pelo Tricolor do Pici

Surpresa

O goleiro Max Walef não esquecerá a primeira partida da decisão do Estadual. Ele é o terceiro goleiro tricolor e não havia feito nenhuma partida no ano. Com a contusão de Erivélton, ele teve que ir para o gol, entrando na final. Quase se machuca, mas foi até o fim, com boas defesas. (Diário do Nordeste)