MAS VÃO AQUECER VENDAS

Presentes para as mães serão itens mais acessíveis

Com os consumidores mais retraídos, os lojistas apostam em promoções e descontos para fisgar a clientela

Considerada uma das principais datas para o comércio varejista, o Dia das Mães, celebrado neste ano em 8 de maio, deverá movimentar o setor neste ano, mas os presentes serão mais simbólicos e baratos. De acordo com o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Fortaleza, Severino Neto, o período mexe com a emoção das pessoas. "Todo mundo quer demonstrar gratidão. Só as mães para salvar este ano", observa.

Para ele, a expectativa de aquecer o comércio vai existir, porém, as compras serão de itens mais acessíveis e que caibam no bolso do cliente, que está mais cauteloso. "Não dá para ter uma porcentagem de vendas ainda, pois se pegarmos o índice (de confiança) do consumidor não é bacana", declara.

Promoções

As promoções irão fazer parte da data para alavancar as vendas. "Os lojistas estão tentando se adequar ao bolso do cliente, que está com menos dinheiro, e a economia está apertando cada vez mais", explica Severino. O presidente da CDL Fortaleza destaca que os efeitos psicológicos causados pela repercussão dos acontecimentos políticos e econômicos do País não são bons e o consumidor freia os gastos.

"Mas tem gente que já se ajustou e está pronto para falar a linguagem do consumidor", afirma. No que se refere à intenção de gastos e itens, Severino aguarda pelas pesquisas.

Instabilidade

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista e Lojista de Fortaleza (Sindilojas), Cid Alves, acredita que a data não será boa, caso o quadro político e econômico atual se mantenha. "Mas, como a política está tão intensa, pode ser que mude", considera. Se fosse hoje, Alves apostaria numa queda entre 1% e 2%.

"É claro que tem quem vai registrar números positivos e outros mais negativos", destaca. Ele espera que o cenário mude e haja estabilidade na economia para os investidores voltarem.

Os preços dos produtos devem estar mais baixos neste ano, de acordo com Alves, pois a indústria está sofrendo e quer se livrar dos estoques. Assim, o cliente ganha mais desconto. "Atualmente, o percentual oferecido para peças de coleções passadas é superior ao de antigamente", analisa.

Em relação ao volume de vendas para o Dia das Mães, peças de confecções, seguidas por perfumes e calçados são a grande aposta dos lojistas. Já para os itens eletroeletrônicos, o valor agregado é maior.

Crescimento

A diretora da loja American News, Juliana Carneiro, espera aumentar em 10% o faturamento com a data, em relação a 2015, porque as pessoas estão viajando menos ao exterior. "Nosso principal concorrente é o freeshop, e não lojas locais", diz.

A campanha alusiva às mães conta com vitrine interativa para o cliente escolher o presente ideal. O catálogo, além dos clássicos de venda, conta também com opções com brindes.

Entre os produtos mais procurados estão os perfumes La Vie Est Belle, um clássico de Lancôme; o J'Adore, da Dior; o 212 Vip Rosé, hit da marca Carolina Herrera; Dahlia Divin, de Givenchy, e Legend Pour Femme, da Montblanc. Um das novidades é a fragrância Olympéa, sensação de Paco Rabanne.

O mesmo percentual de aumento também é esperado nas vendas de roupas e acessórios da Via Direta. A diretora, Marcela Girão, tem consciência que estamos num ano atípico com queda nas vendas, por isso, descontos e lançamentos se fazem necessários. "Neste ano, estiquei um pouco para lançar a coleção inverno mais perto do Dia das Mães", declara Marcela.

As promoções podem chegar, em média, a 70%. E o que mais vende são os vestidos nesta época. Na nova coleção, há opções entre R$ 98 e R$ 349. Para a loja, o faturamento com a data se equipara ao Dia dos Namorados, sendo o melhor depois das festas de fim de ano.

Parcelamento

Considerado o segundo Natal no Magazine Luiza, a celebração é aguardada com otimismo pelo gerente de uma das principais lojas do Centro, Deyve Gonçalves. "Tanto no fim de abril como no início de maio, as vendas aquecem", informa. O desejo é repetir o resultado do ano passado por conta do período de recessão.

Mesmo com período econômico mais difícil, Gonçalves comemora os resultados positivos da regional Fortaleza, que vem numa crescente em relação ao ano anterior.

O ticket médio é de R$ 250. Com mais saída estão itens da área tecnológica como telefone, secador babyliss e multiprocessador. Mas existem aqueles consumidores que desembolsam mais e aproveitam para presentear com máquina de lavar e refrigerador, por exemplo.

Além da promoção especial e descontos, a loja aposta nas vendas parceladas, no cartão próprio, em dez vezes sem juros. (Diário do Nordeste)