REIVINDICAÇÃO

Comércio de Fortaleza quer funcionar 24 horas

O pleito foi apresentado ontem pelo presidente da CDL Fortaleza ao prefeito da Capital, Roberto Cláudio

Entre os sonhos da Câmara Dirigente Lojistas (CDL) de Fortaleza está o comércio da Capital funcionando 24 horas. E esta reivindicação foi feita pessoalmente pelo presidente da CDL, Severino Ramalho Neto, ao prefeito Roberto Cláudio, ontem, em almoço promovido pela entidade com lojistas, sindicatos e representantes do governo na Faculdade CDL. Além do expediente estendido, Severino também expôs a necessidade de uma área histórica central preservada, iluminação com passeios e estacionamentos regulamentados, calçadas livres e ampliadas e, ainda, praças bem conservadas.

Segundo Severino, a ampliação do funcionamento das lojas também deve ser uma reivindicação dos comerciários, pois resultaria em mais empregos para a cidade. "Foi o dia de ouvir o prefeito e ver tudo que ele fez em sua gestão. E, como dever de casa, levar uma proposta para o prefeito, o que o varejo quer nos próximos anos", disse. 

Esta questão ainda deverá ser analisada por outros órgão ligados à Prefeitura e sindicatos para ver itens legais, de acordo com Roberto Cláudio. "É necessário ser aberto um diálogo, não tem como eu dar uma resposta agora. Mas certamente alternativas serão conversadas", afirmou. O prefeito não quis se comprometer ou dar um prazo para discutir o assunto.

Roberto Cláudio considera que, para o varejo, o que tem sido feito de grande relevância é a simplificação dos procedimentos. Tanto do novo marco regulatório do município, como também de processos administrativos e de fluxos mais claros e ágeis que possam desburocratizar a abertura de negócios, assim como agilizar necessidades de novos alvarás e da renovação. "Sem abrir mão, claro, da lei e fiscalização. Isso tornará a cidade mais atrativa para investidores", ressaltou.

Conforme o prefeito, amanhã (20), a Prefeitura de Fortaleza disponibiliza mais um serviço de forma virtual, que é o registro sanitário para atividades de baixo risco. Para os estabelecimentos de alto risco, o serviço estará disponível apenas no próximo mês. Em breve, a Secretaria de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma) também anunciará o alvará de funcionamento para atividades de baixo risco, em parceria com a Junta Comercial do Ceará (Jucec) e o Sebrae.

Processo de impeachment

Com relação à abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, o titular da CDL Fortaleza diz que o varejo como um todo segue a confiança do consumidor, sendo preciso aguardar para saber qual vai ser o comportamento dele diante deste novo cenário. "Não posso dizer se o varejo está desanimado ou animado. O varejo é técnico e trabalha pesquisa e a confiança do consumidor", declarou Severino Neto.

Para ele, se o cenário é turbulento, e isso é transmitido ao varejo, provavelmente, o consumidor se mostre relutante. A expectativa do presidente da CDL é que a resolução política aconteça logo e o País volte a crescer. "Queremos trabalhar, que o mercado passe a consumir e isto gere mais emprego", esclareceu. E disse ser preciso calma para se ter consumo.

O presidente da Federação das Câmaras Dirigentes Lojistas do Ceará (FCDL-CE), Freitas Cordeiro, também analisou que ainda não é possível ter uma previsão de melhoras para o comércio. "Estou torcendo para encontrarmos um caminho, pois até agora está tudo nebuloso. Vamos tentar ser parceiros para construir um Brasil", discursou.

O diretor do Marina Park, Eliseu Barros, acha que as soluções precisam acontecer com mais rapidez para que o Brasil volte a funcionar e a produzir. "Estamos otimistas. Não só para os empresários, mas também para os trabalhadores, que voltem a ter sua vida normal e a crescer", considerou.

PPPs

Em relação às parcerias público- privadas (PPPs), o prefeito Roberto Cláudio considerou que estão "andando bem", e que o problema é viabilizá-las num momento de crise. "Hoje, viabilizar PPP numa crise como a nossa é inviável", afirmou. Mas informou que está trabalhando os processos burocráticos, o novo marco regulatório e a legislação para lançá-la quando houver viabilidade. Em andamento, em fases adiantadas, estão um hospital, o centro administrativo da Capital e uma operação urbana consorciada para o Centro. Em uma fase menos elaborada, está o Ginásio Paulo Sarasate.

O prefeito disse ainda que começou ontem uma nova etapa de obra da Beira-Mar, que envolve troca de pavimentos, drenagem e calçadão. De acordo com o prefeito, está semana será iniciada a finalização do espigão da Av. Desembargador Moreira. (Diário do Nordeste)