'APRIMORAMENTO'

Governo Temer suspende 2 milhões de moradias do 'Minha Casa'

O ministro das Cidades disse que em 40 dias taria o diagnóstico para estabelecer uma nova meta, o que vai depender da análise das contas públicas feita pela equipe econômica do novo governo

O governo do presidente interino Michel Temer suspendeu a meta da presidente afastada Dilma Rousseff de contratar 2 milhões de moradias do programa Minha Casa Minha Vida até dezembro de 2018. O ministro das Cidades, Bruno Araújo disse em entrevista ao jornal Estado de São Paulo que toda a terceira etapa do MCMV, e não apenas a modalidade Entidades, foi suspensa e vai passar por um "aprimoramento".

O ministro disse que em 40 dias taria o diagnóstico para estabelecer uma nova meta, o que vai depender da análise das contas públicas feita pela equipe econômica do novo governo. “É preferível que identifiquemos os reais limites do programa e que os números anunciados sejam o limite de contratação”, disse.

Na terça-feira (17) Araújo já havia revogado a autorização para a contratação de 11.250 unidades da modalidade Entidades do programa.

O MCMV 3 foi anunciado por Dilma Rousseff na véspera do início da campanha de reeleição, em julho de 2014. Ela prometeu construir 3 milhões de casas até o fim de 2018, meta reiterada ni início do segundo. Depois o número foi revisto e reduzido para 2 milhões de moradias. O investimento seria de R$ 210,6 bilhões, dos quais R$ 41,2 bilhões seriam do Orçamento-Geral da União.  (Diário do Nordeste)