COPA AMÉRICA

Seleção se apresenta nos EUA bem modificada

Um ano se passou entre a Copa América realizada no Chile e a que começa no início do próximo mês nos Estados Unidos. Da Seleção Brasileira que parou nos pênaltis contra o Paraguai nas quartas de final e a que tentará o título da disputa em comemoração ao centenário da Conmebol e do próprio torneio muita coisa mudou. Apenas dez jogadores que fizeram parte daquele grupo estão entre os atuais 23 eleitos do técnico Dunga

Os "sobreviventes", que começaram a se apresentar nesse domingo em Los Angeles para iniciar a preparação visando à estreia de 4 de junho contra o Equador, são o lateral-direito Daniel Alves, o zagueiro Miranda, o lateral-esquerdo Filipe Luís, os meio-campistas Elias, Casemiro, Willian e Phillipe Coutinho e o atacante Douglas Costa. Além do lateral-direito Fabinho e do zagueiro Marquinhos, ambos com idade olímpica e presentes nas convocações para as duas Copas América.

Poderiam ser 11, mas Neymar não estará nos Estados Unidos, pois terá de descansar agora por exigência de seu clube, o Barcelona, para então defender a seleção olímpica nos Jogos Olímpicos do Rio.

Mudanças

Dunga não comenta diretamente as mudanças por atacado. Mas não se cansa de dizer que, na equipe nacional, jogador que bobeia perde o lugar. "A Seleção tem de ser competitiva, mas também deve usar o talento. Temos de ter jogadores que driblam, buscam o gol, buscam o resultado", disse recentemente. (Diário do Nordeste)