PRAIAS

Rota das Falésias é tema de encontros no litoral leste

Empreendedores de turismo da região conhecem as ações desenvolvidas pelo Sebrae Ceará e como eles podem aderir ao projeto

Kid Júnior
O roteiro oferece uma série de possibilidades e produtos diferenciados para impulsionar a região, como a gastronomia, passeios de barco e de buggy, artesanato, hotéis, restaurantes entre outros atrativos / O roteiro é chamado de Rota das Falésias em ref

O Sebrae Ceará está realizando encontros com empresários do setor de turismo dos municípios integrantes da Rota das Falésias. O objetivo é apresentar a estes empreendedores as ações desenvolvidas e previstas pelo projeto e a forma de como eles podem aderir a estas ações. O roteiro, chamado de Rota das Falésias em referência à formação natural predominante na região, reúne os atrativos e empreendimentos turísticos dos municípios de Eusébio, Aquiraz, Pindoretama, Cascavel, Beberibe, Aracati, Fortim e Icapuí.

De acordo com a gestora de turismo do Sebrae no Litoral Leste, Lucieuda Bezerra, o projeto Rota das Falésias pretende estruturar, fortalecer e promover a comercialização daquele roteiro, proporcionando maior competitividade e sustentabilidade para os municípios e os negócios do Litoral Leste do Estado do Ceará. Para isso, segundo ela, o projeto envolve o desenvolvimento de várias ações, como a elaboração de um diagnóstico dos empreendimentos, produtos e serviços do roteiro; envolvimento dos atores e fortalecimento do grupo gestor; análise de mercado e planejamento estratégico do roteiro; qualificação e adequação dos serviços e apoio à implantação de novos empreendimentos e apoio à comercialização da rota.

Lucieuda destaca que algumas destas ações já foram desenvolvidas e neste momento o Sebrae está buscando envolver as empresas para que elas possam se beneficiar das iniciativas que estão em andamento. "Para que este roteiro tenha sucesso, é preciso que as empresas se envolvam e qualifiquem seus serviços e produtos para atender de forma adequada ao aumento da demanda turística que deve ser gerado a partir das ações de estruturação e apoio à comercialização do roteiro", fala.

Ações

Nesta semana, o Sebrae já realizou encontros com empresários nos municípios de Aracati, Cascavel e Fortim. Na semana anterior, Beberibe já havia sediado o mesmo encontro. Ainda estão previstas reuniões envolvendo os empresários de Icapuí, Pindoretama, Aquiraz e Eusébio. Durante estes encontros, além de falar das ações do projeto, também estão sendo apresentados os primeiros diagnósticos com a situação atual e as principais demandas de melhoria identificadas por municípios.

De acordo com Lucieuda, estes diagnósticos trazem uma análise de produtos e serviços oferecidos nos municípios e apontam melhorias que precisam ser implementadas pelo poder público e pelos empreendedores. "O fortalecimento do turismo na região exige uma união de esforços entre poder público e sociedade civil. Todos precisam fazer a sua parte, o poder público com a implantação das infraestruturas necessárias e os empresários buscando a qualificação de seus serviços e produtos e o objetivo maior do Sebrae é apoiar neste processo de qualificação e fortalecimento das micro e pequenas empresas", afirma.

O roteiro

Segundo a gestora de turismo do Sebrae no Litoral Leste, apesar da necessidade de ações de melhoria, o território da Rota das Falésias já possui uma boa infraestrutura de produtos e serviços para atender os turistas. "O território tem estrutura para receber os mais diversos tipos de turistas de qualquer parte do mundo. São cerca de 600 empreendimentos do setor turístico na região, além de um acesso facilitado pela existência de boas rodovias, ficando o município mais distante, no máximo, a duas horas de Fortaleza", destaca.

Conforme disse, a partir da estruturação da Rota das Falésias será possível apresentar um "cardápio" de possibilidades e produtos diferenciados, capaz de impulsionar demanda para a região, e ainda, aumentar o tempo de permanência destes turistas no território. "São produtos e serviços como passeios de barco, de buggy, os saberes locais, o artesanato, a gastronomia, bons hotéis, restaurantes, entre outros, que ao atuarem de forma articulada possibilitarão a comercialização de um roteiro ao invés de apenas um destino de forma isolada", diz. (Diário do Nordeste)

A rota em números

8 municípios
35 praias
215 km de litoral
600 empreendimentos do setor de turismo