DOIS ANOS APÓS MUNDIAL

Recursos prometidos pela Fifa são vetados à CBF

Quase dois anos depois da realização da Copa do Mundo no Brasil, a CBF ainda não conseguiu ter acesso aos fundos prometidos pela Fifa como parte do legado do Mundial. Fontes da entidade em Zurique confirmaram que a entidade comandada por Marco Polo Del Nero até agora não conseguiu mostrar como pretende gastar o dinheiro, avaliado em cerca de US$ 90 milhões (cerca de R$ 317 milhões).

Ao final da Copa, o ex-presidente da Fifa, Joseph Blatter, anunciou a criação de um fundo para ajudar o futebol brasileiro, com recursos que iriam para os estados que não tinham recebido os jogos e para a construção de centros de treinamento. Depois de uma liberação inicial de US$ 8,7 milhões, toda a transferência foi suspensa em razão da prisão de José Maria Marin e do indiciamento de Del Nero, que continua na presidência da CBF.

Em diversas reuniões e negociações, a Fifa deixou claro que apenas voltaria a autorizar o repasse se soubesse exatamente como seria usado o fundo, quais critérios seriam utilizados para comprar terrenos e como seria o controle de gastos. A CBF prometeu, ainda em 2015, aprimorar os planos. Mas, durante Congresso da Fifa na semana passada no México, a constatação dos auditores era de que pouco havia sido realizado e que a liberação dos recursos não se justificaria.

Nada feito

Os auditores da Fifa autorizaram a liberação de cerca de US$ 10 milhões para a Concacaf, dinheiro que também estava bloqueado até que a entidade desse demonstrações de que estava passando por uma reforma, depois da onda de prisões de seus dirigentes. Mas a autorização não foi dada à Conmebol. (Diário do Nordeste)