PORTO DO PECÉM

Estado assina memorando com chinesa

Multinacional Medical Health Company (Meheco) irá produzir tomógrafos, equipamentos de raios X e ultrassom na ZPE. Empresa também estuda unidade no Polo Industrial e Tecnológico da Saúde (Pits), no Eusébio

Ascom
Governador Camilo Santana assina Memorando de Entendimento (MOU) com a Meheco.Valores dos investimentos não foram divulgados

O Governo do Estado assinou ontem um Memorando de Entendimento (MOU) com a chinesa Medical Health Company (Meheco) para o desenvolvimento de projetos na área da saúde. A companhia pretende instalar uma unidade para montagem de tomógrafos, raios x, ultrassons na Zona de Processamento do Ceará (ZPE), situada no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp).

“Eles (chineses) demonstraram interesse em fazer investimentos no Ceará. Além de instalar uma fábrica de produção de equipamentos para área da saúde, pretendem financiar, por meio do Banco de Desenvolvimento da China (China Development Bank), equipamentos para a área da saúde pública do Estado”, destaca o governador Camilo Santana, ontem em visita ao país asiático. Não há menção do montante a ser investido ou a data para iniciar os estudos de implantação.

4,5 bilhões de dólares são os recursos esperados para o projeto da refinaria

Segundo Camilo, a empresa estuda a possibilidade de instalar uma segunda unidade para produção de insumos como seringas, luvas e gases no Polo Industrial e Tecnológico da Saúde (Pits), no Eusébio. No local, já está instalada uma unidade da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

O governador também esteve reunido com o Tian Yunhai, diretor para a África e Américas do Banco de Desenvolvimento da China. O encontro teve como foco discutir a participação da instituição em programas e projetos apresentados pelo Estado. “Tian Yunhai confirmou o interesse de financiar projetos do Ceará, como a refinaria e programas para a área da saúde”, ressalta Camilo. Pela agenda, é esperada hoje uma reunião com diretores da empresa Chint Group na província de Hangzhou. A companhia responde pela fabricação de geradores de energia.

Refinaria

Na semana, o Governo assinou o Memorando de Entendimento (MOU) com o banco chinês para o financiamento da refinaria no Ceará. Ao todo, são US$ 4,5 bilhões em recursos. Do montante, US$ 4 bilhões são voltados à concepção do projeto da refinaria. Os outros US$ 500 milhões serão empregados na construção de um terminal petroleiro no Pecém.

A empresa responsável pela implantação será será a Guandong Zhenrong Energy. O empreendimento irá refinar 300 mil barris de petróleo por dia. Contudo, a operação será dividida em duas fases – ambas com 150 mil barris /dia. Cada etapa está orçada em US$ 4 bilhões. Também é projetada uma petroquímica da Qingdao Xinyutian Chemical – destinada à produção de derivados advindos do combustível fóssil. O projeto da refinaria demandará 600 hectares. 400 para as duas fases do equipamento, além de outros 200 para a instalação da petroquímica. Ela, aliás, exigirá investimentos estimados de US$ 3 bilhões. (O Povo - é parceiro de oxereta.com)


Saiba mais

Meheco

A Meheco é uma companhia que tem como controlador a China General Technology Group, estatal do país asiático. Além da fabricação de aparelhos, a empresa dedica-se ao investimento em produtos farmacêuticos.
Portos

Na Ásia, o Governo também lançou uma frente para captar US$ 500 milhões para financiamento de projetos para o Porto do Pecém. A comitiva visitou Xangai (China), Hong Kong e Singapura.

ZPE

A Zona de Processamento de Exportação (ZPE) foi apresentada na China International Fair for Investment & Trade (CIFIT 2017),na cidade de Xiamen, na província de Fujian. A feira é considerada uma das mais importantes do mundo para investimentos e comércio.

Planta de refino

A implantação da refinaria no Ceará deve ocorrer em 2018. De acordo com o Governo do Estado, os chineses iniciaram em agosto os estudos de viabilidade técnica e econômica da planta de refino.