FORTALEZA

Prefeito assina nesta sexta ordem de serviço para novo aterro na Beira Mar; área é de quase 10 quarteirões

Veja imagens de como deverá ficar o novo aterro em Fortaleza

Fco Fontenele/Fco Fontenele
Vista aérea da Beira Mar entre os espigôes da Rui Barbosa e Desembargador Moreira

O prefeito Roberto Cláudio (PDT) assina nesta sexta-feira, 12, a ordem de serviço para as obras do novo aterro na Beira Mar. A engorda da faixa de areia será feita entre os espigões das avenidas Rui Barbosa e Desembargador Moreira. Além da areia, o local deverá receber arborização e equipamentos como ciclovias, pistas para corrida, brinquedos e quiosques.

O futuro aterro deverá avançar 80 metros dentro do mar e terá extensão de 1,2 mil metros. A área total será de 96 mil metros quadrados - equivalente a quase dez quarteirões. Ficará no mesmo nível do aterro da Praia de Iracema, já existente. O atual aterro também receberá pequena engorda.

A obra é orçada em R$ 70 milhões. Os trabalhos não devem ter início de imediato, porque levará um tempo até transportar até a orla de Fortaleza a draga hidráulica e instalação da tubulação. O equipamento irá tirar areia do fundo do mar e jogar na beira da praia, criando o aterro. A previsão é de conclusão até meados do ano que vem.

Integração da orla

O novo aterro da Beira Mar é parte de um projeto maior. A reforma da Beira Mar vem em curso. Porém, é projetada uma intervenção maior. O projeto prevê a criação de um corredor turístico, interligando desde a Praia de Iracema até o Titanzinho.

O projeto prevê instalação de piso intertravado, caracterizando a via como de velocidade mais baixa. Calçadas serão padronizadas e haverá intervenções de paisagismo e iluminação. A intervenção incluirá desde a avenida Almirante Tamandaré, ao lado da Caixa Cultural, prosseguirá pela Rua dos Tabajaras até a Beira Mar. O percurso - com piso intertravado, calçadas padronizadas e demais intervenções, seguirá pela continuação da Beira Mar, na avenida Vicente de Castro, passando pelo Serviluz até o Titanzinho. Toda essa zona da orla, com vários pontos degradados, será interligada.

A mesma padronização deverá ocorrer nas vias de acesso à zona hoteleira. Na avenida Desembargador Moreira, entre a Padre Antônio Tomás até a Praça Portugal, haverá o piso intertravado e padronização de calçadas. Da Praça Portugal até a praia, a intervenção será mais radical. Haverá apenas duas faixas para carro, no sentido Sertão-Praia. O sentido Praia-Sertão, cujo fluxo de veículos é menor conforme os dados da Prefeitura, terá como alternativas as ruas Barbosa de Freitas e Osvaldo Cruz.

As demais faixas da Desembargador Moreira receberão ciclovia e um largo calçadão. O espaço passará a ser ocupados por pedestres e ciclistas. O projeto foi concebido de modo a preservar todas as árvores do canteiro central.

Também é planejada a instalação de piso intertravado no entorno do Palácio da Abolição, descendo pela Barão de Studart até a praia, numa parceria com o Governo do Estado. As conversas são ainda iniciais.  (O Povo - é parceiro de oxereta.com)