TURISMO DE EVENTOS

Visitantes movimentaram mais de meio bilhão no Ceará

Dado faz parte da pesquisa 'Impacto Econômico do Turismo de Eventos Realizados em Fortaleza 2018', apresentada ontem

O Povo
Visitantes movimentaram mais de meio bilhão no Ceará

Mais de R$ 500 milhões foram movimentados no Estado em decorrência de turistas que visitaram o Ceará para participar de eventos em 2018. Em sua maioria, essas pessoas vieram de São Paulo e permaneceram somente em Fortaleza. Grande parte possui escolaridade elevada e ficou na Cidade por cerca de três dias. Os dados fazem parte da pesquisa "Impacto Econômico do Turismo de Eventos Realizados em Fortaleza 2018".

O estudo analisou o impacto econômico dos eventos em Fortaleza por meio do gasto per capita, bem como avaliou os serviços turísticos e de infraestrutura. A aplicação da pesquisa foi realizada entre abril e novembro de 2018 com uma amostra de 3.308 entrevistados em 26 eventos diversos, de áreas como saúde, aviação, esportes, direito e energia.

O levantamento foi apresentado ontem pela manhã na sede da Federação do Comércio do Estado do Ceará (Fecomércio-CE), uma das parceiras envolvidas na realização. O presidente da entidade, Maurício Filizola, destacou o pioneirismo da investigação e a importância dos números colhidos para a execução de ações futuras no turismo.

"São dados que vão alimentar as empresas na tomada de decisões do dia a dia, ao mesmo tempo em que essa pesquisa norteia políticas públicas, investimentos e tomadas de decisões do próprio governo em relação a esse setor que é tão importante para a economia do Estado".

A aplicação de questionários foi realizada por pesquisadores da Graduação Tecnológica em Eventos da Universidade de Fortaleza (Unifor). A coordenadora do curso, Milena Auip, afirma que muitos investimentos estão sendo feitos para favorecer esse tipo de turismo, como a melhoria da malha aérea, mas destaca que há espaço para avanços em outras áreas.

"Eu acho que ainda falta um investimento na construção de novos hotéis próximos ao Centro de Eventos. Hoje só temos dois. Precisamos também qualificar a mão de obra, pois não adianta ter infraestrutura se não vier atrelada à qualificação de organizadores, fornecedores. A gente tem que estar sempre melhorando".

Nicolino Trompieri, professor da Unifor e um dos pesquisadores envolvidos no levantamento, ressalta que a pesquisa traz dados relevantes, como o fato de que 28,4% desses turistas permanecem mais dias além do evento no Ceará. Ele comenta que é preciso investir em meios de alongar ainda mais essa estada, pois, como o próprio levantamento mostrou, esse perfil possui uma renda maior, ou seja, pode deixar mais dinheiro no Estado.

"O turismo é um conjunto de parcelas de atividades que são beneficiadas principalmente quando (o visitante) é de maior renda, mais qualificado. Isso impacta nos melhores resorts e hotéis, pois são turistas mais exigentes. Conhecer por meio do evento pode, inclusive, fazer com que ele volte para lazer em outro período", analisa.

Ivana Bezerra Rangel, presidente do Visite Ceará/Fortaleza Convention & Visitor Bureau, entidade que atua na captação e apoio de eventos para o Estado, comemora o feito. Ela ressalta a importância do turismo de eventos, que flui durante todo o ano, em comparação ao de lazer, que possui grande impacto apenas nos períodos de alta estação. Ela também destaca que outro levantamento já se anuncia no horizonte das entidades envolvidas.

"Já estamos com planos de fazer a próxima pesquisa, que vai ser em cima das empresas de eventos. Nós vimos (com esse estudo) os resultados sobre os turistas. E as empresas? Imagina o faturamento de toda a rede, toda a cadeia para montar o evento, organizar? Será a nossa próxima pesquisa", complementa.

Estudo
A pesquisa foi realizada a partir de uma parceria entre Federação do Comércio do Estado do Ceará (Fecomércio), Universidade de Fortaleza (Unifor) e Visite Ceará/Fortaleza Convention & Visitor Bureau. (O Povo - é parceiro de oxereta.com)