TORCIDAS BRIGAM

No segundo dia de prova do Enem, torcidas brigam e grupo invade escola no Monte Castelo

Clássico-Rei foi marcado por conflitos dentro e fora do Castelão

Uma escola no bairro Monte Castelo foi invadida por um grupo na tarde deste domingo, 10. Quem fazia as provas do segundo dia de aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), se deparou com uma briga entre torcidas por volta das 12h40min, na entrada da Escola Municipal Martinz de Aguiar.

No mesmo dia, a Arena Castelão era o lugar o lugar onde ocorria o jogo entre Fortaleza e Ceará. O jogo teve início às 19h, mas a movimentação de torcedores começou bem antes. O Clássico-Rei foi marcado por conflitos dentro e fora do Castelão, antes, durante e após partida. Fortaleza venceu a partida por 1 a 0.

Uma estudante, que pediu para não ser identificada, contou que a confusão ocorreu pouco antes da prova ser entregue. "Eu já tava dentro da sala esperando a prova começar. A gente ouviu muito barulho como se fosse um arrastão. Tinha muita gente", conta.

Ela relata que, logo que começou a invasão, as portas das salas foram trancadas. "As fiscais que estavam na porta das salas entraram e trancaram. Estavam tentando invadir (as salas), batendo nas portas", relata a jovem. Ela diz ainda que chegou a ouvir sons que "pareciam ser tiros". "Depois de muito tempo que foram chamar a polícia", disse.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), a Polícia Militar do Ceará (PMCE) foi acionada para atender uma ocorrência provocada por homens que seguiam para o Clássico-Rei.

O coordenador da unidade relatou à Polícia que "homens que passavam pela via se depararam com um bando rival, o que resultou no início de uma confusão no momento em que os alunos se preparavam para entrar na escola". Foi nesse momento que o grupo entrou na instituição de ensino e deixou o local em seguida. "Ninguém ficou ferido durante a ação e não houve danos patrimoniais ao prédio público", diz a SSPDS em nota.

Além da PMCE, a Guarda Municipal de Fortaleza (GMF) também foi acionada e um cerco foi realizado na região. "As guarnições policiais realizaram abordagens no local, mas nada de ilícito foi encontrado", conclui a SSPDS.

A pasta orienta que as pessoas que se sentiram prejudicadas registrem Boletim de Ocorrência (BO) em qualquer delegacia da Polícia Civil. O 1° Distrito Policial (DP) investiga o caso. (O Povo - é parceiro de oxereta.com)