STREAMING DE ÁUDIO

"O Spotify está muito interessado em conteúdo regionalizado"

O diretor do Spotify Studios na América Latina anuncia parcerias para realização de podcasts originais da plataforma

Luciana aith
Diretor do Spotify - Javier Piñol

Uma das plataformas de streaming de áudio mais populares e mais utilizadas no mundo, o Spotify estima encerrar o ano de 2019 com 266 milhões de usuários ativos mensais. Até 30 de setembro, eram 248 milhões, de acordo com relatório financeiro divulgado no final de outubro. Parte desses usuários vem do desempenho da audiência de podcasts, vista pela empresa como "fenômeno global crescente" com avanço exponencial impulsionador de maior engajamento geral.

E foi para esse negócio que a empresa se voltou durante o Spotify for Podcasters Summit, evento que aconteceu nos dias 1 e 2 de novembro, em São Paulo. Produtores de conteúdo, técnicos, especialistas no assunto e os principais nomes da empresa sueca atuando no Brasil se revezaram em mais de 50 mesas de conversas, painéis, palestras e workshops.

Javier Piñol, diretor do Spotify Studios na América Latina, anunciou parcerias para realização de podcasts originais da plataforma, além de nomes já consagrados na internet (Alexandre Ottoni e Deive Pazos, Nerdcast) e outros que estão entrando agora nesse universo (Konrad Dantas, Kondzilla). Em entrevista para O POVO, Piñol falou sobre o espaço para a produção feita fora do eixo Rio-São Paulo. (O Povo - é parceiro de oxereta.com)


O POVO - O Spotify tem planos para o mercado regional de podcasts? Vocês olham para o que está acontecendo em nível local?

Javier Piñol - Temos. Você tem que entender que o Spotify está no Brasil há apenas cinco anos, com música. Nós conhecemos muito bem as diferenças, a diversidade do país, que é enorme. Toda a expertise que cultivamos nos últimos cinco anos - com a música, os gêneros, os atores, as gravadoras - estamos aplicando em podcast. Há três pessoas no Brasil somente para podcasts. E vamos aumentar essa equipe para expandir todo o trabalho que vem sendo feito em São Paulo e no Rio para o Nordeste e outras regiões.

OP - Em sua apresentação (no Spotify For Podcasters Summit) você mostrou que os podcasts hoje rendem "três Annitas" em audiência. O que isso significa?

Javier - Significa que estamos muito contentes. Annita é uma das maiores artistas do Brasil. Mesmo com todos os meios falando, podcasting algumas vezes é mostrado como aquela coisa de nicho dentro dos novos formatos. Mas a gente tem que entender que consumo de podcast hoje é massivo, independente de números. É três vezes maior do que uma das artistas mais escutadas da plataforma. Então, é necessário um toque de atenção. A gente precisa gravar isso nas nossas mentes: é três!

OP - Você falou da aquisição de empresas (Gimlet, Anchor e Parcast), para oferecer ferramentas necessárias a essa expansão. Então, vocês pretendem ampliar essas aquisições e parcerias?

Javier - Estamos completamente abertos, de olho no mercado e em todas as oportunidades que existem para ajudar a melhorar a experiência, promover escalabilidade, a ser mais intuitivo, mais eficiente, seja na criação, distribuição ou monetização. Estamos abertos a tudo que seja necessário ao criador. Não só para adquirir, mas para melhorar o que já temos, melhorar o produto e fazer com que encontrar os podcasts seja mais fácil, para que o que pode interessar ao usuário esteja mais pertinho. Outro dia me diziam: "vocês têm Gimlet, agora vão ter um mundo de novos produtos muito bons"; eu digo sim, mas o melhor é ter um montão de novas pessoas que são brilhantes para nos ensinar - aqui no Brasil, no México, em Londres - a como fazer melhor.

OP - O Spotify teme perder alguma audiência da música para o podcast?

Javier - Essa é a melhor parte. Um usuário que consome música, consome "x" horas de música; um usuário que consome podcast e música, consome "2x" de música. Porque você tem na mesma plataforma conteúdos diversos e não tem que ir em outro lugar para ter esse conteúdo. O tempo que perderia para ir fora buscar música você escuta podcast e depois mais música. As pessoas ficam mais tempo na plataforma, mais engajados. Mais tempo significa mais retenção e mais conversão para Premium (a assinatura). Eu não tenho medo. Você tem medo? rsrs

OP - Não, eu não tenho. Tenho medo de não conseguir fazer outra coisa na vida a não ser ouvir tudo que está sendo produzido… rsrs

Javier - E como podemos ajudar vocês a seguir com seus podcasts? Mande e-mail para mim. Eu gostaria de ter um papo sem um microfone me apontando, porque o Spotify está muito interessado em conteúdo regionalizado e localizado. No ano que vem você vai ver, você vai ouvir, como começamos a explorar fora das grandes cidades. Isso está acontecendo e para nós é muito importante. Mande e-mail, escreva-me!