ECONOMIA

Empresa canadense investirá R$ 120 milhões em mineração, gerando 1.150 empregos no Ceará

Projeto irá se consolidar no município de Pedra Branca com 900 empregos na fase de construção e 250 após inauguração. Veja detalhes do empreendimento

Carlos Gibaja/Divulgação
Governo do Ceará e empresa canadense assinam memorando de entendimento para aporte de R$ 120 milhões em mineração em Pedra Branca

A empresa canadense South Atlantic Gold investirá R$ 120 milhões na exploração de minério na região de Pedra Branca, a 268 km de Fortaleza, Capital do Ceará. Projeto irá gerar 1.500 empregos, sendo 900 na fase de construção e 250 após inauguração.

O acordo para o investimento foi formalizado na manhã desta segunda-feira, 18 de junho, com assinatura de memorando de entendimento entre a empresa e o Governo do Estado. Sendo este a primeira etapa para consolidação do investimento.

“Muito nos orgulha e nos enche de esperança quando falamos de geração de empregos no interior do Ceará. Estamos promovendo a articulação entre as secretarias para que possamos agir de forma integrada a fim de garantir a capacitação técnica e profissional necessária para que o projeto alcance o sucesso planejado”, comenta a governadora do Ceará, Izolda Cela (PDT).

Extração de ouro no Ceará

A expectativa da empresa canadense é alcançar a produção de 66 mil onças de ouro, conforme estudo técnico. Projeto integra plano da multinacional em fortalecer o valor das ações da marca mediante iniciativas bem sucedidas de exploração em países da América do Sul. A empresa valia como "ótima" a projeção da operação no Ceará. 

O empreendimento, para além das 250 vagas criadas para garantir o funcionamento da planta de mineração, pode gerar ainda outras 800 vagas de emprego diretos durante as possíveis fases de aumento da produção anual. "A intenção é promover uma integração da população já existente, capacitar e valorizar a mão de obra local, de acordo com a implantação do Projeto", afirma a Casa Civil do Ceará. 

Além da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedet), também participaram da articulação para assinatura do memorando, a Secretaria dos Recursos Hídricos, a Secretaria da Educação, Secretaria da Infraestrutura, Secretaria de Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior e Secretaria do Meio Ambiente.
Ao avaliar o contexto como promissor, o vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), Carlos Prado, reitera, porém, que ainda é preciso que o memorando evolua para um contrato de operação capaz de garantir benefícios ao Estado.

"Esse evento significa um momento importante para o Ceará, com a chegada de empresas especializadas em mineração e que descobrem a potencialidade do Estado nessa área, a qual, naturalmente, precisa ser confirmada. A assinatura do memorando é uma sinalização muito boa, pela qual temos que torcer para que a empresa continue pesquisando e chegue a um bom termo para que o Ceará seja beneficiado”, destaca. (O Povo - é parceiro de oxereta.com)